terça-feira, 24 de junho de 2014

Caminhos do Vale do Urtigosa

Urrô e Rossas são duas freguesias de Arouca que, juntas, formam os 'Caminhos do Vale do Urtigosa'. E, como prometido, o percurso a realizar e a dar a conhecer, no fim-de-semana de S. João, é a segunda pequena rota (PR 2) do concelho em questão.

video
Rio Urtigosa e seus afluentes


O rio Urtigosa e seus afluentes (ver acima o vídeo) são os grandes atractivos da PR 2 de Arouca. Uma rota que pode ter início e fim nas imediações da vila,  por terras de Rossas e de Urrô. Com 11 km, em circuito, passa por Rossas, Póvoa Reguenga, Souto Redondo e Lourosa de Matos. Todos possíveis locais para começar a, pegada a pegada, calcar os trilhos rurais, tradicionais e de montanha. 

Igreja Matriz de Rossas


Aqui, o início fica assinalado na Igreja Matriz de Rossas, onde por estes dias celebra-se o S. João. A marcha começa às 14 horas e saímos, eu e o meu 'companheiro de caminhada', em direcção a Póvoa, que fica a 4 km. E, até lá, passamos pelo rio Urtigosa, pelo ribeiro de Escaiba (um afluente) e pelos lugares de Torneiro e Provisende.

Póvoa é a primeira paragem

A percorrer trilhos florestais

Capela do Imaculado Coração de Maria e S. Lucas

4 km ficam percorridos de Rossas a Póvoa

Já em Póvoa, os caminheiros conseguem avistar o lugar de Souto Redondo, a 1,3 km, o vale de Urtigosa e uma vista panorâmica sobre Rossas. Ao longo de todo percurso, encontram-se campos cultivados, grande áreas florestais, socalcos e toda uma vasta vegetação (ver abaixo a fotogaleria). Castanheiros, cerejeiras, carvalhos, pinheiros e sobreiros são os grandes responsáveis pela existência de sombra.


video
Pormenores captados nos 'Caminhos do Vale do Urtigosa'


A 1,3 km de Souto Redondo

Capela de Souto Redondo

Próxima etapa é Lourosa de Matos a 2,7 km

Um apontamento a registar é a partilhar de trilhos, de Póvoa a Portelada, da PR 2 com a GR 28 - 'Por Montes e Vales de Arouca', passando, pelo meio, por  Souto Redondo. Mas, agora, retomo a explicação do percurso.

Após atravessar as ruas de Souto Redondo, tomamos, novamente, caminhos florestais que conduzem-nos à próxima etapa, o lugar de Lourosa de Matos. E é, a meio do percurso, que a chuva começa a acompanhar-nos. O sol do início do percurso dá lugar, no céu, a uma grande mancha cinza-escura, que chega carregada de pingos gordos.

A chuva a molhar metade da PR 2

A 500 m do Urtigosa e a 2,3 km de Rossas

Chuva, piso escorregadio, pés húmidos e sapatilhas cheias de lama. Alguns entraves encontrados, mas que, em certa medida, até tornaram-se em algo engraçado. Pois, quando está frio e chove, a tendência das pessoas é refugiarem-se dentro das suas casas e, como tal, acabam por deixar passar, ao lado, certos prazeres da vida. O tempo chuvoso fez-me reflectir sobre isso e muito mais...



Águas do Urtigosa


A saber, o rio Urtigosa nasce, na freguesia de Urrô, a partir de vários riachos que escorrem das encostas da Freita. Depois, o rio desce e corre, desaguando, em Rossas, nas águas do Arda, um afluente do rio Douro. A segunda pequena rota do concelho de Arouca permite, aos caminheiros, fazer duas travessias sobre o Urtigosa e várias outras sobre os seus afluentes. 


Igreja de Rossas à vista

O percurso termina, às 17.30 horas, com a chegada ao largo da Igreja Matriz de Rossas, de onde partimos à descoberta de novas paragens. O balanço é positivo. Para trás, ficam três horas e meia de pegadas, miragens e cliques fotográficos com dois desníveis moderados, um ascendente e descendente.

Aventurem-se!

Um até já,

TS







Sem comentários:

Enviar um comentário